terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Nascimento de Jesus

Aconteceu que, naqueles dias, César Augusto publicou um decreto, ordenando o recenseamento de toda a terra.
Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirino era governador da Síria. Todos iam registrar-se cada um na sua cidade natal.
Por ser da família e descendência de Davi, José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judeia, para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
Enquanto estavam em Belém, completaram-se os dias para o parto, e Maria deu à luz o seu filho primogênito. Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria.
Naquela região havia pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do seu rebanho.
Um anjo do Senhor apareceu aos pastores, a glória do Senhor os envolveu em luz, e eles ficaram com muito medo. O anjo, porém, disse aos pastores: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: Encontrareis um recém-nascido envolvido em faixas e deitado numa manjedoura”.

E, de repente, juntou-se ao anjo uma multidão da coorte celeste. Cantavam louvores a Deus, dizendo: “Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados”.(Evangelho (Lc 2,1-14)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Os escritores da história de Jesus


Mas quem são os autores dos quatro evangelhos? Os evangelistas autores dos quatro evangelhos são: São Marcos, São Mateus, São Lucas e São João, através deles iremos conhecer melhor Jesus personagem principal de toda a Bíblia.
Como os outros livros da Bíblia, também os evangelhos só foram escritos muito tempo depois que aconteceram os fatos narrados. Por isso, primeiro os evangelistas conheceram Jesus; depois, escreveram sobre ele. E você sabe como eles o conheceram? Será que todos se encontraram pessoalmente com Jesus? Não. Apenas São Mateus e São João. São Marcos e São Lucas só puderam c nhecer Jesus através de outras pessoas, principalmente dos apóstolos São Pedro e São Paulo.

Enquanto os evangelistas ouviam o que as pessoas diziam sobre Jesus, eles perceberam como a sua presença mexia com as pessoas. Jesus trazia uma mensagem nova, cheia de sabedoria. E todos se admiravam de seu ensinamento. Veja só com que palavras Jesus iniciou a sua pregação na Galiléia: "O Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no evangelho" (Mc 1,15).

Porém, mais do que as palavras, eram as atitudes e as ações de Jesus que impressionavam as pessoas. Muitos reconheceram o poder dele. E o povo comentava: "Nunca vimos ninguém, antes dele, que fosse capaz de fazer um surdo ouvir ou um mudo falar!"

Diante disso, os evangelistas tiveram a brilhante idéia de escrever os fatos e feitos de Jesus. 

Dessa forma, sua história podia ser conhecida e sua mensagem recebida por todos. 

Assim, nasceram os evangelhos. Contudo, não se sabe, com certeza, quando eles foram escritos. Os estudiosos da Bíblia afirmam que foi entre os anos 50 e 100 (vários anos depois da morte de Jesus).

Nessa tarefa, os evangelistas tiveram também a ajuda do Espírito Santo, que lhes deu muita sabedoria e os iluminou. Por isso, eles souberam transmitir a verdade sobre o Filho de Deus, usando palavras e exemplos bem simples para que todos pudessem entendê-los. Mesmo assim, nem todos aceitaram Jesus.

E agora, acompanhemos o trabalho de cada evangelista.

SÃO MARCOS

Marcos, também chamado João Marcos, escreveu seu evangelho a partir das pregações de São Pedro.

A grande preocupação de São Marcos era mostrar aos novos cristãos (convertidos e batizados) que aquele Jesus que os homens não aceitaram, crucificaram e mataram, era também o Flho de Deus glorioso que ressuscitou na Páscoa.

Marcos percebeu ainda que o povo esperava que Jesus (o Messias) fosse um Deus guerreiro e vencedor pela espada; não um Deus tão parecido com as pessoas simples do povo. Isso o decepcionou. Porém, o evangelista entendeu que era esse o segredo de Jesus: ele não apenas sofreu e morreu, mas também ressuscitou! porque era o Filho de Deus.

Diante disso, Marcos não teve dúvidas. No seu evangelho, ele comunicaria a bondade e a divindade de Jesus. Por isso, ele narrou muitos fatos importantes de sua vida, destacando a pregação, as curas e os milagres. Confira na sua Bíblia quais são esses fatos e que milagres Jesus fez segundo o evangelho de São Marcos.

SÃO MATEUS

Mateus conheceu Jesus bem de perto. Ele foi um dos doze apóstolos. Antes, exercia a profissão de cobrador de impostos públicos. Chamava-se Levi. O nome de Mateus foi-lhe dado depois que Jesus o chamou para ser apóstolo. Inclusive, ele mesmo conta como Jesus o chamou para segui-lo. (Veja Mt 9,9.)

E quais são os fatos que Mateus narra no seu evangelho? Encontramos nele muitos fatos e aspectos já apresentados por Marcos. Porém, Mateus os apresenta de outra forma. Ele fala sobre o nascimento de Jesus; depois, da sua missão, morte e ressurreição.

Sobretudo. Mateus preocupava-se em mostrar aos judeus, a comunidade para quem ele escreveu seu evangelho, que Jesus é o mesmo Salvador prometido. Ele prova que na pessoa e na obra de Jesus a promessa de Deus se realiza. Por isso, cita muitos textos bíblicos do Antigo Testamento, que falam de Jesus como o Messias anunciado pêlos profetas. 

Vejamos.por exemplo, o fato do nascimento de Jesus em Belém. Ele está em Mt 2,6 e tem ligação com as palavras de Miquéias (Mq 5,1). Acompanhemos o que ele diz: "E tu, Belém, não és de modo algum a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um Chefe que será pastor de Israel, meu povo. Suas origens são de tempos antigos'.

Mesmo assim os judeus não acreditaram. E Mateus continuou insistindo em sua afirmação de que Jesus é verdadeiramente o Salvador prometido, o Filho de Deus.

SÃO LUCAS

Lucas, ao contrário de Mateus, não conheceu Jesus. Era pagão (não batizado). Vivia na cidade de Antioquia onde nasceu e trabalhava como médico. Como então, ele pôde escrever seu evangelho? Isso só aconteceu depois da sua conversão. Ou seja, depois que ele conheceu Jesus através da pregação de São Paulo.

A partir daí, Lucas acompanhou São Paulo em quase todas as viagens missionárias. Esteve sempre ao lado dele, também nos momentos mais difíceis, como na prisão de Paulo, em Roma.

No evangelho de Lucas, encontramos fatos já narrados por Marcos e Mateus. Diferente, porém,é a linguagem que ele usa. Por exemplo,ao falar da infância de Jesus, só ele descreve todos os detalhes do seu nascimento. Ele mostra não só como Jesus nasceu,mas indica também a sua origem e qual era a sua missão nesta Terra. (Confira Lc 2,1-8.)

E não só. Lucas insiste na ternura de Jesus para com os humildes, os pobres, enquanto os orgulhosos são tratados duramente.

Além disso, ele mostra que Deus (o pai de Jesus e nosso pai) é um Deus de amor e bondade. Por isso, ele cura as doenças, perdoa e salva o pecador arrependido, como o bom ladrão pregado na cruz ao lado de Jesus (Lc 23, 39 - 43).

Seu evangelho tinha a finalidade de fortalecer a fé dos novos cristãos, de origem pagã, convertidos a Jesus, como ele.

SÃO JOÃO

João era um pescador, e irmão de Tiago, que também foi um dos doze apóstolos. Veja em Mt 10,1- 4, os nomes dos outros apóstolos. E por que Jesus chamou esses doze homens? 

Chamou-os para que depois eles pregassem a mensagem de Deus a todos os povos. E como ele mesmo diz, João é "aquele que Jesus amava". Ele sempre foi amigo de Jesus; nunca o abandonou, nem mesmo junto à cruz. E foi aí, que Jesus pediu a João que cuidasse de Nossa Senhora depois que ele morresse.

A preocupação de João, ao escrever seu evangelho, foi mostrar aos cristãos a origem divina de Jesus. Por este motivo, ele lembra já no início do livro, que desde a criação do mundo, Jesus não só estava junto de Deus, mas ele era também Deus (Jo 1,1).

E João continua afirmando que foi por amor que Jesus se tomou homem; e veio para salvar e dar vida a todos os homens. Jesus demonstrou isso através da sua vida e dos milagres que fez. Os milagres revelam o poder de Jesus e simbolizam os dons que ele traz a todos; a vida, o pão vivo, a luz etc. Através desses dons, Jesus nos faz fortes para amar e ajudar as outras pessoas. Este é o mandamento que ele nos deixou: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei" (Jo 13, 12).


fonte: catequisar.com


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Deus não erra!


Há muito tempo, num reino distante, havia um rei que não acreditava na bondade de Deus. Tinha, porém, um súdito que sempre o lembrava dessa verdade.
- Meu rei,não desanime... Tudo que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!!! Um dia, o rei saiu para caçar juntamente com seu súdito, e uma fera da floresta atacou o atacou. O súdito conseguiu matar o animal, porém não evitou que sua majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita. O rei, furioso pelo que havia acontecido, e sem mostrar agradecimento por ter sua vida salva pelos esforços de seu servo, perguntou a este:
- E agora, o que você me diz? Deus é bom? Se Deus fosse bom eu não teria sido atacado, e não teria perdido o meu dedo.
O Servo respondeu:
- Meu rei, apesar de todas essas coisas, somente posso dizer-lhe que Deus é bom, e que mesmo isso, perder um dedo, é para seu bem! Tudo que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!!!
O rei, indignado com a resposta do súdito, mandou que o mesmo fosse preso na cela mais escura e mais fétida do calabouço. Após algum tempo, o rei saiu novamente para caçar e aconteceu dele ser atacado, desta vez por uma tribo de índios que vivia na selva. Estes índios eram temidos por todos, pois se sabia que faziam sacrifícios humanos para seus deuses. Mal prenderam o rei, passaram a preparar, cheios de júbilo, o ritual do sacrifício.
Quando já estava tudo pronto e o rei já estava diante do altar, o sacerdote indígena, ao examinar a vítima, observou furioso:
- Este homem não pode ser sacrificado, pois é defeituoso!! Falta-lhe um dedo!!
E o rei foi libertado. Ao voltar para o palácio, muito alegre e aliviado, mandou libertar seu súdito e pediu que o mesmo viesse em sua presença. 
Ao ver o servo, abraçou-o afetuosamente dizendo-lhe:
- Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Você já deve estar sabendo que escapei da morte justamente porque não tinha um dos dedos. Mas ainda tenho em meu coração uma grande dúvida: Se Deus é tão bom, por que permitiu que você fosse preso da maneira como foi? Logo você, que tanto o defendeu?
O servo sorriu e disse:
- Meu rei, se eu estivesse junto contigo nessa caçada, certamente seria sacrificado em teu lugar, pois não me falta dedo algum!
Tudo que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!!!
Nunca diga a Deus que você tem um grande problema... mas diga ao problema que você tem um “Grande Deus!!”.



fonte: Comunidade com Deus

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Quando devemos montar a árvore de Natal

A árvore de Natal é um dos grandes símbolos do período natalino, simboliza a vida. De acordo com o padre Gustavo Haas, assessor de liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a árvore deve começar a ser montada no Primeiro Domingo do Tempo do Advento. Vale lembrar ainda que a árvore não deve ser montada toda de uma vez: o ideal é acrescentar enfeites e adereços aos poucos, durante as quatro semanas do advento que é para nós católicos, tempo de preparação.


 “Durante o Natal, no Hemisfério Norte, todas as árvores perdem as folhas, com exceção do pinheiro. Por isso, a árvore se tornou símbolo da vida, celebrada no Natal com o nascimento do menino Jesus”, diz padre Haas. 


De acordo com o religioso, a preparação da árvore deve ser intensificada durante a última semana que antecede o Natal. “Até o Segundo Domingo do Tempo do Advento, tudo ainda é muito sóbrio, mesmo nas leituras feitas nas missas do advento. É só a partir do Terceiro Domingo do Tempo do Advento que a Bíblia começa a falar do nascimento de Jesus, e se inicia um momento de maior expectativa. Esse é o momento, portanto, de intensificar a decoração da árvore”, afirma. 



Presépios
A montagem do presépio, também tradicional em tempos de Natal, deve seguir a mesma linha da preparação da árvore de natal. “Aos poucos, pode-se começar a montar a gruta, colocar os animais e os pastores, mas Maria, José e o menino Jesus devem fazer parte do presépio apenas mais próximo do Natal”, diz padre Haas. 



O presépio ainda de acordo com o padre foi uma invenção de São Francisco de Assis para lembrar a simplicidade e as dificuldades enfrentadas por Maria e José no nascimento de Jesus. A orientação para quem pretende seguir a tradição católica é não sofisticar os presépios com luzes e enfeites.



 “Costumamos dizer sempre também que é muito importante envolver as crianças na montagem dos presépios, e o ideal seria que eles fossem feitos nas próprias casas, pelas crianças, para que eles percebam o real sentido do natal”, diz.



Hora de desmontar



Tradicionalmente, o dia de desmontar a árvore de Natal, o presépio e toda a decoração natalina é seis de janeiro, o Dia de Reis. “É nesse dia que três magos, pessoas sábias, encontram o menino Jesus e ele é então revelado a todas as nações. Termina então o tempo de Natal, o tempo de expectativa, e começa o tempo comum para a Igreja”, afirma padre Haas.



FONTE: CATEQUISAR.COM

Coroa do Advento

coroa do advento
O Tempo do Advento; um tempo de preparação para a Festa do Natal de Jesus. o Verbo se fez carne e habitou entre nós,  assumiu a nossa humanidade, sem deixar de ser Deus. Esse acontecimento precisa ser preparado e celebrado a cada ano. São quatro semanas de preparação em que somos convidados a esperar Jesus que vem no Natal e que vem no final dos tempos.
Nas duas primeiras semanas do Advento, a liturgia nos convida a vigiar e esperar a vinda gloriosa do Salvador. 
Nas duas últimas semanas, lembrando a espera dos profetas e de Maria, nós nos preparamos mais especialmente para celebrar o nascimento de Jesus em Belém. Os Profetas anunciaram esse acontecimento com riqueza de detalhes: nascerá da tribo de Judá, em Belém, a cidade de Davi; seu Reino não terá fim... Maria O esperou com zelo materno e O preparou para a missão terrena.
Para nos ajudar nesta preparação usa-se a Coroa do Advento, composta por 4 velas nos seus cantos – presas aos ramos formando um círculo.
A forma circular:
O círculo não tem princípio, nem fim. É sinal do amor de Deus que é eterno, sem princípio e nem fim, e também do nosso amor a Deus e ao próximo que nunca se deve terminar. Além disso, o círculo dá uma idéia de "elo", de união entre Deus e as pessoas, como uma grande "Aliança".
As ramas verdes:
Verde é a cor da esperança e da vida. Deus quer que esperemos a sua graça, o seu perdão misericordioso e a glória da vida eterna no final de nossa vida. Bênçãos que nos foram derramadas pelo Senhor Jesus, em sua primeira vinda entre nós, e que agora, com esperança renovada, aguardamos a sua consumação, na sua segunda e definitiva volta.
As quatro velas:
As quatro velas da coroa simbolizam, cada uma delas, uma das quatro semanas do Advento. No inicio, vemos nossa coroa sem luz e sem brilho. Recorda-nos a experiência de escuridão do pecado. A medida que se vai aproximando o natal, vamos ao passo das semanas do Advento, acendendo uma a uma as quatro velas representando assim a chegada, em meio de nós, do Senhor Jesus, luz do mundo, quem dissipa toda escuridão, trazendo aos nossos corações a reconciliação tão esperada. 
As velas representam as várias etapas da salvação. Começa-se no 1º Domingo, acendendo apenas uma vela e à medida que vão passando os domingos, vamos acendendo as outras velas, até chegar o 4º Domingo, quando todas devem estar acesas. As velas acesas simbolizam nossa fé, nossa alegria. Elas são acesas em honra do Deus que vem a nós. Deus, a grande Luz, "a Luz que ilumina todo homem que vem a este mundo", está para chegar, então, nós O esperamos com luzes, porque O amamos e também queremos ser, como Ele, Luz.

fonte: Cancão Nova/catequisar.com

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Jesus Cristo - Rei do Universo

A Solenidade de Cristo Rei do Universo é a última deste Ano Litúrgico (24/11/2013), foi um tempo em que meditamos sobre o mistério de sua vida, sua pregação e o anúncio do Reino de Deus. Cristo Rei anuncia a Verdade e essa Verdade é a luz que ilumina o caminho amoroso que Ele traçou, com sua Via Crucis, para o Reino. Assim Jesus Cristo é o Rei e o Pastor do Reino de Deus, que nos tirando das trevas, nos guia e cuida em nosso caminho para a comunhão plena com Deus Amor. 
O Ano Litúrgico é o tempo que marca as datas dos acontecimentos da História da Salvação. Não é como o ano civil, que começa em 1º de Janeiro e termina em 31 de dezembro, mas começa no 1º domingo do Advento (preparação para o Natal) e termina no último sábado do tempo comum, que é na véspera do 1º domingo do Advento (significa chegada). No 1º domingo do advento 24 de novembro iniciamos o ano litúrgico A. 
Anualmente é apresentado o mesmo mistério; por exemplo, o Natal. Só que cada vez ele é iluminado diferentemente pelos diversos evangelistas: Ano A = Mateus; Ano B = Marcos; Ano C = Lucas. João preenche determinados espaços vazios deixados pelos Sinóticos. Exemplo: só o IV Evangelho fala do Lava-pés, passagem proclamada na Quinta-feira Santa: Jo 13, 1ss.). 
Advento são as quatro semanas que antecedem o Natal e prepara os corações para melhor penetrar seus mistérios. A seguir vem o Natal e festas a ele relacionadas: Sagrada Família, Maternidade de Maria, Magos. O tempo do Advento compõe-se de quatro semanas, portanto começa quatro domingos antes do Natal e termina no dia 24 de dezembro. Não é um tempo de festas, mas de alegria moderada e preparação para receber Jesus. A cor dos paramentos litúrgicos é roxa.  

Fonte: Canção Nova




quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Os anjos

Dois anjos estavam viajando e pararam na casa de uma família rica para passar a noite. A família recusou recebê-los no quarto de hóspede da mansão e, ao invés disso, foi lhes dado um lugar frio no porão.

Assim eles arrumaram suas camas no chão duro. O anjo mais velho viu um buraco na parede e o fechou. Quando o anjo mais novo perguntou o porquê daquilo, o anjo mais velho respondeu:

- Nem sempre as coisas são como parecem!

Na noite seguinte o par de anjos veio descansar na casa de um fazendeiro muito pobre, porém hospitaleiro. Depois de compartilhar a pouca comida o casal deixou que os anjos dormissem na sua cama, onde eles puderam ter uma boa noite de descanso.

Quando o sol veio na manhã seguinte os anjos encontraram o fazendeiro e sua esposa em lágrimas. Sua única vaca cujo leite era seu único rendimento, estava morta no campo.O anjo mais novo perguntou ao anjo mais velho:

- Como você deixou que isso acontecesse? O primeiro homem tinha tudo, mesmo assim você o ajudou. A Segunda família tinha pouco, porém estava disposta a dividir todas as coisas e você deixou que sua vaca morresse ?

- Nem sempre as coisas são como parecem! Respondeu o anjo mais velho. Quando estávamos no porão da mansão eu vi que havia ouro guardado em um buraco na parede. Visto que o dono estava tão obcecado pela cobiça e não estava disposto a compartilhar sua fortuna, eu fechei a parede e ele não será capaz
de encontrá-la. Então na noite passada enquanto nós dormíamos na cama do fazendeiro, o anjo da morte veio para levar sua esposa. Eu disse a ele que ao invés dela, levasse o animal.

MORAL DA HISTÓRIA:

Nem sempre as coisas são como parecem! Algumas vezes isto é exatamente o que acontece. Quando as coisas não resultam como gostaríamos que fosse. Se você tem fé em DEUS, apenas confie que todo resultado é sempre a seu favor. Você pode não entender isto na hora, mas mais tarde entenderá.

fonte: catequisar.com

Dia do Anjo da Guarda

Dentre os anjos de Deus, Ele escolhe nosso Anjo da Guarda, que é pessoal e exclusivo, cuja função é proteger-nos até o retorno da nossa alma à eternidade. Ele nos ampara e nos defende das dos perigos com que os espíritos maus nos tentam, na nossa vida terrena. “Porque aos seus anjos ele mandou que te guardem em todos os teus caminhos, eles te sustentarão em suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra” (Sl 90,11-12).

Os Anjos da Guarda estão repletos de dons e privilégios especiais, com uma missão insubstituível ao longo da criação. Eles possuem a natureza angélica espiritual, que é a síntese de toda a beleza e de todas as virtudes de Deus, por isso impossível de ser representada.

As graças que recebemos nos são dadas por Deus, que é o princípio e o fim de nossa vida, através da intercessão de nosso Anjo Bom.

Deus confiou cada criatura a um Anjo da Guarda. Esta é uma verdade que está em várias páginas da Sagrada Escritura e na história das tradições da humanidade, sendo um dogma da Igreja Católica, atualmente também confirmado pelos teólogos. A devoção dos anjos é mais antiga até que a dos próprios santos, ganhando maior vigor na Idade Média, quando os monges solitários receberam a companhia dessas invisíveis criaturas, cuja presença era sentida nas suas vidas de silenciosa contemplação e íntima comunhão espiritual com Deus-Pai.

O Anjo da Guarda é um ser mais perfeito e digno do que nós, criaturas humanas. Não podemos ignorá-lo. Devemos amá-lo, respeitá-lo e segui-lo, pois está sempre pronto a proteger-nos, animar e orientar, para cumprirmos a missão da vida terrena, trilhando o caminho de Cristo e, assim, ingressarmos na glória eterna.
Rezemos: Santo Anjo do Senhor,
meu zeloso guardador,
já que a ti me confiou a piedade Divina,
sempre me rege, me guarda,
me governa e ilumina, agora e sempre.
Amém!

fonte: Canção Nova

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Coloque a Palavra de Deus em prática

''Bem-aventurados os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática'' (Lc 11, 28). São Tiago vai nos dizer: ''Sede realizadores da Palavra e não apenas ouvintes que se iludiram a si mesmos'' (Tg 1, 22). Por que se iludiriam a si mesmos? Porque tinham conhecimento da Palavra, mas sem fruto; sem transformação de vida. São aqueles de quem Jesus fala no Sermão da Montanha: "Aquele que ouve a Palavra de Deus, mas não a põe em prática é como o homem que construiu a casa sobre a areia. De nada adiantou todo o esforço e todo investimento: a casa ruiu no primeiro vendaval'' (cf. Mt 7, 26ss). 

''Como vou colocar esta Palavra em prática?'' Nesse momento somos desafiados a colocá-la em prática. É como se Deus mesmo nos desafiasse: "Façam a prova e vejam como a minha Palavra 'funciona'''. Ela é viva, ela é eficaz. Ela se realiza. Basta colocá-la em prática. A Palavra de Deus é como a semente: se plantar, nasce. 

Neste mês da Bíblia, você e eu somos convidados a esse passo importantíssimo na nossa caminhada: colocar a Palavra de Deus em prática. Faça a experiência. Você vai perceber, com surpresa, o quanto ela é concreta. Ela pode ser vivida por qualquer pessoa e está ao alcance de todos. Experimente fazer isso. É isso que o Senhor quer para cada um de nós: que não gastemos mais tempo e esforço à toa. Construir, sim, mas construir sobre a rocha. Conhecer a Palavra de Deus e colocá-la em prática no nosso dia a dia é uma experiência maravilhosa. Você verá!

Monsenhor Jonas Abib

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Mês da Bíblia

Perguntas e respostas que ajudarão as crianças e jovens a conhecer e entender a Bíblia.
A BÍBLIA:

1. O que significa a Palavra “BÍBLIA”?
Bíblia é uma palavra da língua grega, no plural que quer dizer livros.

2. Que é a Bíblia?
É uma coleção de 73 livros, chamados livros sagrados, escritos por inspiração de Deus, e que trazem a palavra de Deus revelada.

3. Quem escreveu a Bíblia?
Foi Deus quem escreveu a Bíblia.

4. Como Deus escreveu a Bíblia?
Deus quis se servir de homens, que ele foi escolhendo, ao longo da história da salvação, para escrever aquilo que queria que fosse escrito, e somente aquilo que ele queria revelar.

5. Como se chamam esses homens escolhidos por Deus?
Chamam-se autores sagrados (ou hagiógrafos) são como que instrumentos humanos, nas mãos de Deus.

6. Quantos são esses autores sagrados da Bíblia?
São mais de 50 pessoas de que Deus se serviu para escrever sua revelação, à medida que o tempo ia passando.

7. Onde foi escrita a Bíblia Sagrada?
Na Palestina, ou terra de Canaã, e suas imediações e em outras regiões do Antigo Testamento.

8. Em que língua foi escrita a Bíblia?
Foi escrita em Hebraico, parte em Aramaico e parte em Grego.

9. A Bíblia foi escrita de uma só vez?
Não. Foi escrita num período de aproximadamente 1300 anos. De Moisés até São João - Apóstolo.

10. Qual o conteúdo da Bíblia?
A Bíblia não é um livro de ciências, mas um livro que traz a revelação de Deus ao Mundo e a historia da salvação.


2. DIVISÃO DA BÍBLIA

1. Como se divide a Bíblia?
A princípio a divisão da Bíblia é Antigo Testamento e Novo Testamento

2. Porque se chama Testamento ou Aliança?
Por que Deus fez um trato, ou uma aliança com os homens para libertá-los e salvá-los. Esta aliança foi cumprida, definitivamente, em Jesus Cristo.

3. Quantos livros têm o Antigo Testamento?
O Antigo Testamento tem 46 livros. Começa com Gênesis e termina com Malaquias.

4. Quantos livros têm o Novo Testamento?
Tem 27 livros. Começa com o Evangelho escrito por Mateus e vai até o Apocalipse.

5. O Antigo Testamento trata de que?
O Antigo Testamento trata a respeito do mundo, do homem, da fidelidade do povo de Israel, da promessa do Salvador.

6. O Novo Testamento trata de que?
O Novo Testamento nos apresenta Jesus Cristo, na sua vida, nos seus ensinamentos, nos seus milagres, no seu Evangelho, na pregação dos Apóstolos, e na vida dos primeiros cristãos.

7. Qual é o centro da Bíblia?
O núcleo central da Bíblia é Jesus Cristo. Tudo na Bíblia fala dele, o Antigo Testamento prepara sua vinda. E no Novo Testamento é ele mesmo ao vivo.

8. Há ainda outras divisões na Bíblia?
Sim. A Bíblia é dividida em 73 livros e cada livro é dividido em capítulos e versículos. Assim, posso dizer livro do Gênesis, capítulo 1º versículo 10.

9. Qual é o primeiro e o último livro da Bíblia?
O primeiro livro da Bíblia é o Gênesis e o último é o Apocalipse.


3. O Povo de Deus

1. Como se chama o povo escolhido por Deus?
Chama-se Povo Hebreu, ou Israelita, É o povo descendente de Abraão, de qual deveria nascer o Messias, isto é o Cristo.

2. Como começa essa história do povo eleito de Deus?
Passado muito tempo, desde a criação do homem, da história do primeiro pecado, da promessa que Deus fez de mandar um salvador, Deus chama um homem de nome Abraão, ele é a raiz do povo eleito.

3. Como Deus se manifestava a esse povo?
Através da lei dada a Moises, no monte Sinai e através dos profetas que falavam em nome de Deus.

4. Qual é a parte mais importante da lei?
É o decálogo, ou seja, os 10 mandamentos.

5. E qual é a parte mais importante dos Profetas?
Eles enxergaram e viveram os acontecimentos à luz da fé, e ajudaram o povo a fazer o mesmo deste modo, toda vida deles foi um anúncio de Jesus Cristo, o maior dos Profetas.

6. A salvação foi prometida somente ao povo eleito?
Não. Deus quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade, mas a salvação veio dos judeus.

7. Quer dizer que Jesus Cristo nasceu deste povo escolhido?
Exatamente, e esse povo foi preparado para dele nascer o Cristo.


sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Vocação


É um chamado de Deus para fazer algo, para cumprir uma missão. Agosto é o mês vocacional. 

1º Domingo celebramos a Vocação dos Ministros Ordenados (bispos, padres e diáconos); 
2º Domingo celebramos a Vocação da Vida em Família (dia dos pais); 
3º Domingo celebramos a Vocação da Vida Consagrada (religiosas, religiosos, leigas e leigos consagrados); 
4º Domingo celebramos a Vocação dos Ministros Não Ordenados (todos os cristãos leigos e leigas).

Este ano o tema para reflexão é “Eis-me aqui, envia-me”, em referência à Campanha da Fraternidade, junto à juventude, e o tema liga-se à proposta da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Despedida do Papa Francisco

“Parto com a alma cheia de recordações felizes; essas – estou certo – tornar-se-ão oração”, disse o Santo Padre em sua partida a Roma. Após sete dias em terras brasileiras, em meio aos jovens, aos abraços em crianças e idosos, em meio aos sorrisos de alegria e olhares atentos dos que o viram, Papa Francisco deixou o Brasil, na tarde deste domingo, 28 de julho.

Um clima de evidente emoção tomou conta dos brasileiros durante a despedida do Sucessor de Pedro, que visitou o país em virtude da 28ª Jornada Mundial da Juventude na cidade do Rio de Janeiro.
“Neste momento, já começo a sentir saudades. Saudades do Brasil, este povo tão grande e de grande coração, este povo tão amoroso. Saudades do sorriso aberto e sincero que vi em tantas pessoas, saudades do entusiasmo dos voluntários. Saudades da esperança no olhar dos jovens no Hospital São Francisco. Saudades da fé e da alegria em meio à adversidade dos moradores de Varginha”, disse o Santo Padre.
O Papa classificou como uma “semana inesquecível” os dias que passou no Brasil e agradeceu a todos os envolvidos na JMJ pela acolhida e pelo trabalho realizado.
“Agradeço, enfim, a todas as pessoas que, de um modo ou de outro, souberam acudir as necessidades de acolhida e gestão de uma multidão imensa de jovens, sem esquecer de tantas pessoas que, no silêncio e na simplicidade, rezaram para que esta Jornada Mundial da Juventude fosse uma verdadeira experiência de crescimento na fé. Que Deus recompense a todos, como só Ele sabe fazer!”.
Durante a cerimônia, voltou a mencionar sua devoção a Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, e confirmou suas orações à Virgem Maria a favor da humanidade e dos brasileiros. “Pedi a Maria que robusteça em vocês a fé cristã, que é parte da nobre alma do Brasil, como também de muitos outros países.”
O Papa Francisco pretende retornar ao Brasil, em 2017, para a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba do Sul.

fonte:Canção Nova

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Papa Francisco no Brasil

Dia 22 de julho o Papa Francisco chegou ao Brasil e em seu primeiro discurso reforçou o principal motivo de sua vinda. Vim para a Jornada Mundial da Juventude, para encontrar os jovens que vieram de todo o mundo, atraídos pelos braços abertos do Cristo Redentor. Eles querem agasalhar-se no seu abraço para, junto de seu Coração, ouvir de novo o seu potente e claro chamado: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações».

Estes jovens provêm dos diversos continentes, falam línguas diferentes, são portadores de variegadas culturas e, todavia, em Cristo encontram as respostas para suas mais altas e comuns aspirações e podem saciar a fome de verdade límpida e de amor autêntico que os irmanem para além de toda diversidade.

Cristo abre espaço para eles, pois sabe que energia alguma pode ser mais potente que aquela que se desprende do coração dos jovens quando conquistados pela experiência da sua amizade. Cristo “bota fé” nos jovens e confia-lhes o futuro de sua própria causa: “Ide, fazei discípulos”. Ide para além das fronteiras do que é humanamente possível e criem um mundo de irmãos. Também os jovens “botam fé” em Cristo. Eles não têm medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos.

Ao iniciar esta minha visita ao Brasil, tenho consciência de que, ao dirigir-me aos jovens, falarei às suas famílias, às suas comunidades eclesiais e nacionais de origem, às sociedades nas quais estão inseridos, aos homens e às mulheres dos quais, em grande medida, depende o futuro destas novas gerações.

O papa Francisco quis complementar a sua viagem apostólica ao Brasil com uma visita ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, confiando à intercessão da Virgem Maria o sucesso espiritual do evento e todos os seus participantes. Antes de presidir a Santa missa o Papa dirigiu-se  à Capela dedicada aos 12 Apóstolos, onde é custodiada a pequena imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e recitou com os com os presentes uma oração à Mãe Aparecida:

Mãe Aparecida, como Vós um dia, 
assim me sinto hoje diante 
do vosso e meu Deus, 
que nos propõe para a vida uma missão 
cujos contornos e limites desconhecemos, 
cujas exigências apenas vislumbramos. 
Mas, em vossa fé de que 
“para Deus nada é impossível”, 
Vós, ó Mãe, não hesitastes, 
e eu não posso hesitar. 
Assim, ó Mãe, como Vós, 
eu abraço minha missão. 
Em vossas mãos coloco minha vida 
e vamos Vós-Mãe e Eu-Filho 
caminhar juntos, crer juntos, lutar juntos, 
vencer juntos como sempre juntos 
caminhastes vosso Filho e Vós. 
Mãe Aparecida, 
um dia levastes vosso Filho 
ao templo para O consagrar ao Pai, 
para que fosse inteira disponibilidade 
para a missão. 
Levai-me hoje ao mesmo Pai, 
consagrai-me a Ele com tudo 
o que sou e com tudo o que tenho. 
Mãe Aparecida, 
ponho em vossas mãos, 
e levai até o Pai a nossa e a vossa juventude, 
a Jornada Mundial da Juventude: 
quanta força, quanta vida, 
quanto dinamismo brotando e explodindo 
e que pode estar a serviço da vida, 
da humanidade. 
Finalmente, ó Mãe, vos pedimos: 
permanecei aqui, 
sempre acolhendo vossos filhos 
e filhas peregrinos, 
mas também ide conosco, 
estai sempre ao nosso lado 
e acompanhai na missão 
a grande família dos devotos, 
principalmente quando 
a cruz mais nos pesar, 
sustentai nossa esperança e nossa fé.

A Jornada Mundial da Juventude está acontecendo de 23 a 28 de julho de 2013 no Rio de Janeiro - Brasil.
Rezemos pedindo a Nossa Senhora que seja uma mãe para o Papa Francisco, que o Espírito Santo o fortaleça com entusiamo e coragem e Deus o abençoe.

fonte: Rádio Vaticano 
        Canção Nova

terça-feira, 23 de julho de 2013

Ser jovem hoje

Ao mesmo tempo em que ser jovem é difícil pois são muitos os desafios, também parece fácil, vivemos num tempo em que tudo é rápido como o jovem, a tecnologia a globalização, tudo chega a cada um de nós numa rapidez que não nos permite pensar, muitas coisas já chegam pensadas, a internet nos parece uma amiga, psicóloga, com um conselho pronto, uma solução prática na qual não tivemos nem tempo de pensar, às vezes parece uma mãe protetora, que está pronta a resolver e apaziguar tudo na nossa vida. Vivemos num tempo moderno, moderníssimo onde é preciso parar, deixar toda essa rapidez fluir, todo esse imediatismo seguir e pensar será que os “mais velhos” estão certos? Será que não estou criando um mundo só para mim, é o meu quarto, meu celular, meu computador, minha vida, meus amigos virtuais, que meus pais não conhecem, aliás, a maioria nem eu os conheço pessoalmente, não sei se eles são reais. 
Com tudo o que esse mundo tem de negativo ou ruim e tudo o que tem de bom, podemos extrair uma joia, é Jesus Cristo que há mais de 2000 mil anos esteve em corpo, alma e divindade no meio do povo e permanece, na Palavra, na Eucaristia, acessível e atual para todos, Ele se encaixa em qualquer perfil, é a minha, é a sua medida: Rei, Poderoso, Soberano, servo, manso e humilde. Não é meu, nem seu, é nosso! Nosso Deus, nosso Mestre, nosso Senhor, que de todas as formas se faz presente no meio de nós, através de seus discípulos, missionários, vocacionados e consagrados, são os seus representantes. Um deles é o Sumo Pontífice sucessor do apóstolo Pedro: Papa Francisco.  
Por isso, eu te digo: Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças do Inferno não poderão vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Mt, 16, 18-19)
O Chefe Supremo da Igreja Católica, chegou no Brasil, veio comunicar o amor de Deus a todos é o Pastor que hoje Deus usa para falar conosco através da Jornada Mundial da Juventude. O Senhor está sempre pronto a fazer alianças conosco, nos perdoar e dar nova oportunidade, é sempre tempo de caminhar com Jesus, estar com Ele ou fazer a opção de começar. Ele quer a sua, a nossa SALVAÇÃO, o mundo tem jeito e pode começar por mim e por você, eu aqui saindo do meu mundinho, me abrindo para a vida que o Senhor tem para mim, muito mais plena e abundante de amor, de partilha, de perdão, de calor humano e ainda podendo aproveitar tudo que a globalização traz de forma saudável em benefício meu e do próximo, e você talvez perto ou distante (outra rua, outro estado, outro Pais), mas Ele é o mesmo, ontem hoje e sempre, é o único caminho para nós e apesar das diferenças, é Ele que nos torna irmãos.  
Que a visita do Santo Padre ajude nossa juventude a enxergar o seu valor e abundância de amor que trazem dentro de si capaz de transformar e tornar o mundo mais bonito e melhor. Deus abençoe o Papa Francisco!

Regilandia Pedrosa



sexta-feira, 19 de julho de 2013

A VERDADEIRA AMIZADE

Na guerra do Vietnã, durante uma emboscada, vários homens morreram em combate. Um dos soldados pede ao capitão para voltar ao local da emboscada pois o seu melhor amigo estava lá. O capitão lhe respondeu que não, pois já deveria estar morto, e ele não queria perder mais soldados.
O soldado pensou muito e tomou uma decisão de ir sozinho resgatar o amigo. Ao executar o resgate o soldado foi ferido, mas carregando seu amigo morto, ambos chegam ao acampamento. Quando o capitão vê o soldado com o cadáver, ele fica furioso: "Eu não falei para você não ir, agora não apenas perdi um soldado, mas dois... Valeu a pena me desobedecer e trazer um cadáver?" Porém, o soldado já falecendo, disse suas últimas palavras: "Eu faria novamente, pois quando eu cheguei lá, ele estava ainda vivo e me disse: "Eu sabia que você não me abandonaria". 
O verdadeiro amigo é aquele que está presente quando, nas tribulações todos vão embora!!!
"Ó Senhor, abençoai aqueles que Vos amam, que amam aos amigos em Vós e os inimigos por Vossa causa." (S. Agostinho) 
Agradeço a Deus pela vida dos meus amigos e pelo bem que eles me fazem e espero também estar retribuindo a  amizades que tenho com  fidelidade e carinho. Feliz dia do amigo (20 de julho).


PARÁBOLAS QUE TRANSFORMAM VIDAS
           Pe. MARCELO ROSSI

terça-feira, 9 de julho de 2013

Desculpe o transtorno, estou em construção!

Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos. 

Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos. 

Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente. Mas agredimos. Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. 

Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe. E, assim, vamos causando transtornos.

Esses tantos transtornos mostram que não estamos prontos, mas em construção. Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma. 

O outro também está em construção e também causa transtornos. E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. 

Outras vezes, é a cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer. 

Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros. Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. 

A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão. Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. 

É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários. Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. 

Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício. 

O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão. É um banho na alma! Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos… 

...Estou em construção!

autor:Gabriel Chalita

sexta-feira, 5 de julho de 2013

UMA HISTÓRIA DE PERDÃO

Havia dois irmãos que visitavam seus avós no sítio durante as  férias. Felipe, o menino, ganhou um estilingue para brincar no mato. Praticava sempre, mas nunca conseguia acertar o alvo.
Certa tarde viu o pato de estimação da vovó... Em um impulso atirou e acabou acertando o pato na cabeça e o matou. Ele ficou chocado e triste!
Entrou em pânico e escondeu o pato morto no meio da madeira! 
Beatriz, a sua irmã viu tudo, mas não disse nada aos avós. Após o almoço no dia seguinte, a avó disse:"Beatriz, vamos lavar a louça." Mas ela disse: “Vovó, o Felipe me disse que queria ajudar na cozinha".E olhando para ele sussurrou: "Lembra do pato?" Então o Felipe lavou os pratos. 
Mais tarde o vovô perguntou se as crianças queriam pescar e a vovó disse: "Desculpe, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar." Beatriz apenas sorriu e disse, "Está bem, mas o Felipe me disse que queria ajudar hoje", e sussurrou novamente para ele, "Lembra do pato?" 
Então a Beatriz foi pescar e Felipe ficou para ajudar. Após vários dias o Felipe sempre ficava fazendo o trabalho da Beatriz até que ele, finalmente não aguentando mais, confessou para a avó que tinha matado o pato. 
A vovó o abraçou e disse: “Querido, eu sei”... eu estava na janela e vi tudo, mas porque eu te amo, eu te perdoei. Eu só estava me perguntando quanto tempo você iria deixar a Beatriz fazer você de escravo!" 
Qualquer que seja o seu passado, ou o que você tenha feito... (mentir, enganar, seus maus hábitos, ódio, raiva, amargura, etc. ).... seja o que for... você precisa saber que Deus estava na janela e viu tudo como aconteceu . 
Ele conhece toda a sua vida... Ele quer que você saiba que Ele te ama e que você já está perdoado. Ele está apenas querendo saber quanto tempo você vai deixar o diabo fazer de você um escravo .
Deus só está esperando você pedir perdão, Ele não só perdoa, mas Ele se esquece.

Vá em frente, quantas vezes for preciso perdoe e peça perdão, faça a diferença na vida de alguém!


autor: desconhecido




quinta-feira, 4 de julho de 2013

Conhecendo a Jornada Mundial da Juventude – JMJ

Um sonho do coração de Deus que começou com um encontro promovido pelo Papa João Paulo II em 1984. Foi um encontro de amor, sonhado por Deus e abraçado pelos jovens. Vozes que precisavam ser ouvidas e um coração pronto para acolhê-las.
A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), como foi denominada a partir de 1985, continua a mostrar ao mundo o testemunho de uma fé viva, transformadora e a mostrar o rosto de Cristo em cada jovem.
São eles, os jovens, os protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade. A JMJ tem como objetivo principal dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, mas é verdade também que, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo.
A Jornada Mundial da Juventude, que se realiza anualmente nas dioceses de todo o mundo, prevê a cada 2 ou 3 anos um encontro internacional dos jovens com o Papa, que dura aproximadamente uma semana. Durante a JMJ São muitas as atividades às quais os jovens são convidados a participar, como as catequeses, eventos culturais, momentos de partilha e vida comum. Mas existem aquelas que estão previstas para a Jornada, como os atos centrais (cerimônia de abertura, acolhida do Papa, a Via-Sacra, a Vigília dos jovens com o Papa e a missa de encerramento) e os atos extraordinários. Este ano de 2013, a JMJ acontecerá na cidade do Rio de Janeiro (Brasil) de 23 a 28 de julho, com o lema da “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).

Pedimos ao Senhor por este encontro Jornada Mundial da Juventude que com certeza reunirá jovens diferentes na língua, na raça, na idade, mas com o mesmo desejo de fazer o mundo melhor e mais bonito, que tenham a mente e o coração abertos para acolher as graças e assumir a missão de batizado comprometido com a Igreja Católica.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A fé dos cristãos

A fé é um dom gratuito que Deus concede ao homem. Para viver, crescer e perseverar na fé devemos alimentá-la com a Palavra de Deus, devemos implorar ao Senhor que a aumente.

Eu sou uma pessoa: nasci menino ou menina. Tenho um pai e uma mãe, irmãos, irmãs e uma família, vivo na comunidade dos seres humanos, com animais e plantas, e tudo o que desenvolve na terra. Os homens podem ver e ouvir, aprender e fixar, pensar e fazer projetos. Podem construir casas, domesticar animais, curar doenças, transmitir a vida. Investigam o universo e são capazes de viajar até à lua, atravessar os mares e inventar bombas que destroem a vida sobre a terra. São capazes de observar e estabelecer comparações.

Os homens comunicam-se entre si, aprendem uns dos outros, e necessitam-se igualmente uns dos outros.O que é difícil torna-se fácil quando há alguém a quem posso dizer: conto contigo; tens boas intenções para comigo, Escuto o que me dizes: acredito em ti. Tu ajudas-me sempre a levantar e me fala de esperança. Confio na tua palavra e em ti. É a amizade.

O coração do homem está feito para o infinito, as experiências mais belas não o satisfazem, pelo contrário levam-no cada vez mais a buscar e refletir: Porque estou no mundo, por que tenho de morrer? Tem sentido minha vida? 

Em todas as épocas e entre todos os povos, os homens procuram Deus. Procuram-no para aprender d'Ele a compreenderem-se e a compreender o mundo. Todo o homem pode reconhecer a mão eficiente de Deus na ordem diversificada da criação. As obras são o reflexo d'Aquele que as criou. Existe uma maneira mais direta de encontrar Deus e de estar seguro da sua existência. Os cristãos confiam no testemunho da Bíblia. 

"Muitas vezes e de muitos modos falou Deus a nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. Nestes dias, que são os últimos, falou-nos por meio do Filho" (Hb 1,1).

Através dos relatos bíblicos dos seus encontros com o homem aprendemos a conhecer Deus. Aprendemos quem é Deus e o que Ele quer do homem e para o homem.

A fé é um ato pelo qual aderimos na confiança, à pessoa de Jesus Cristo filho de Deus, e ao conteúdo de tudo o que Ele nos revelou por meio de seus apóstolos e de sua Igreja. Aprendemos a crer graças aos ensinamentos que recebemos da igreja. No símbolo dos apóstolos dizemos: “Creio”, mas quando renovamos as promessas do batismo durante a Vigília Pascal, dizemos juntos: “Sim, creio”. A fé é uma atitude pessoal que se vive na Igreja, com todos os outros cristãos.

fonte: Pequeno Catecismo  Católico